Comentários e dúvidas…

Gostou do conteúdo do blog? Ajudou você de alguma forma?

Continue deixando seus comentários e dúvidas. É muito importante para nós o seu feedback!

 

Os comentários podem demorar para serem respondidos.

Pedimos desculpas se voce fez sua pergunta e ainda não obteve resposta. Nosso objetivo é reduzir o tempo de espera; estamos trabalhando para isso.

Mas algumas dúvidas podem ser esclarecidas através da consulta ao nosso blog. Algumas delas já foram comentadas em resposta a outros internautas. Dê uma olhada nos comentarios (e respostas) adicionados logo após o post sobre o qual voce ainda tem alguma dúvida.

Esperamos, em breve,poder responder em tempo mais curto a todos os comentarios (e dúvidas)!

Agradecemos a sua compreensão.

Anúncios

18 comentários

  1. Olá, por gentileza, tenho catarata num estágio inicial. Gostaria de saber se o fato de ter catarata, impede ou prejudica a execução e avaliação de exames para detecção de glaucoma de pressão normal (já que descobri recentemente que minha irmã tem glaucoma de pressão normal)
    .

    Curtir

    1. Ivana,

      Em primeiro lugar, a catarata é uma opacificação do cristalino, a lente “natural” do olho. Quando somos jovens ele, cristalino, é transparente! Depois ele vai perdendo essa qualidade à medida que envelhecemos. Claro que existem outras formas de catarata que cursam com diminuição mais acentuada e rápida da visão. Mas, a catarata senil é a forma mais comum.

      Eu costumo dizer que a catarata é o “cabelo branco” do olho, ou seja, todos teremos,mais dia menos dia. Mas isso não significa necessariamente ter que operar sempre. Alguns chegam aos oitenta anos sem que essa redução da qualidade visual seja algo que realmente atrapalhe! Até porque a opacificação acontece tão devagar que muitas vezes é o oftalmologista que informa, durante uma consulta de rotina, que a visão já não é tão boa devido à catarata. Ou seja, o próprio individuo não percebe a dificuldade…até porque ele continua vendo TV, lendo (com mais necessidade de luz direcionada ao texto,claro!) e costurando …como antes.

      Como já não exercem as atividades que exigem maior discriminação visual…acabam acostumados e satisfeitos com a qualidade visual que têm. Nesses casos, a indicação cirurgica é reservada àqueles em que a catarata representa risco maior de eventos secundários. Como no caso do aumento da pressão intra-ocular em individuos que têm o ângulo estreito ou seja , maior risco de fazer fechamento do “canal por onde flui o liquido intra-ocular” quando o cristalino está cataratoso (pelo aumento de volume e densidade do mesmo). Ou em outras situações especificas, identificadas pelo oftalmologista.

      Quanto ao glaucoma de pressão normal, o diagnóstico é mais difícil de ser feito, ainda que o cristalino esteja transparente. Mas mesmo em presença de catarata, enquanto a visualização do disco óptico é possível,o diagnostico não constitui problema maior.

      Até porque ambos, catarata e glaucoma, são diagnósticos mais frequentes durante o processo de envelhecimento. Em outras palavras, o oftalmologista está apto a avaliar, de forma adequada, cada uma dessas disfunções independentemente da sua coexistência num mesmo individuo.

      Espero ter ajudado!

      Curtir

  2. Boa Tarde!eu tenho hipermetropia uso 12,50 e 13 graus +
    gostaria de saber se tem cirurgia para esse grau?
    também gostaria de saber o cid para hipermetropia , eu tenho muita dificuldade quando vou prestar concurso , no computador em tudo que vou ler ! gostaria de saber se na medicina esse grau essa dificuldade é considerado invalidez??
    obrigado aguardo uma resposta!
    ADRIANA SILVANA .

    Curtir

  3. Olá Dra Elizabeth,

    Troquei a lente antiga do óculos por um novo com graus corrigidos, porém ficou mais difícil de enxergar de perto ( até 40cm). Com o óculos antigo as letras pareciam maiores e mais nítidas. Com a nova lente, apesar de conseguir ler, sinto que as letras diminuíram e não sinto uma tal “leveza” para ler. Outro sintomas é que quando estou focando em algo distante e mudo o foco para perto, há um demora para que o objeto próximo fique nítido. Com essa nova receita, meu astigmatismo e miopia aumentaram significativamente, quase o dobro do antigo que eu usava. Outra observação, agora minha lente é de policarbonato por a armação ser sem aro. Já faz 3 meses que estou com esta lente. Esses sintomas são normais? Levei o óculos na época ao oftalmologista, e ele disse que a lente estava correta de acordo com a receita. Como percebi esses sintomas depois, não pude perguntar na época.

    Curtir

  4. Boa tarde. Moro em São José dos Campos – SP e estive numa consulta com a Sra, na clínica Downtown, no dia 13/6/2013, 14:00 horas. Fiz um Mapeamento de Retina e a Sra, na ocasião, me disse que eu poderia enviar o resultado por email. Para qual email devo enviar? Grato.

    Curtir

  5. Boa tarde Doutora Elizabeth.
    Sou usuário de lentes de contato a mais ou menos 1 ano. Fui ao meu oftalmologista e o mesmo me disse que poderia estar usando lentes normalmente. Perguntei para ele sobre a curva base da lente para poder estar comprando em ótica lentes de contato coloridas. Gostei muito das lentes da Baush & Lomb e resolvi compra-las! A minha curva base é de 8.2 mm e a Baush fabrica a de 8.4mm, sendo a que chega mais próxima da curva base do meu olho. Gostaria portanto de saber se posso usar essas lentes de 8.4 mm? Mesmo sendo essa pouca diferença de curvatura.
    OBS: comprei já lentes coloridas da optolentes com a curvatura certa de 8.2 mm do meu olho, e quando as coloquei elas não paravam em meu olho, ficavam todo o tempo sem movimentando!

    Grato Edson

    Curtir

    1. Edson,

      Os dados ceratometricos (medidas diametros vertical e horizontal corneanos) servem de base para a contatologia. Porem as lentes
      descartáveis são manufaturadas visando uma media de individuos.Algumas lentes têm duas curvas base(CB) disponiveis. Já outras não;
      estão disponiveis em apenas uma apresentação (curva).Mas apenas a CB da lente não garante conforto ao usuário porque o desenho da
      lente, suas curvas perifericas e seu diametro interessam tambem e modificam a qualidade da adaptação.
      Além disso pode acontecer de voce ter conforto com uma determinada lente (no inicio) e depois de algum tempo verificar que surgiram
      alguns sinais e sintomas em decorrencia de adaptação inadequada dessa lente à sua cornea.
      Quando o profissional usa o termo adaptação ele não esta se referindo apenas ao seu conforto e sim a perfeita relação entre a sua
      córnea e a lente em questão.

      Converse mais com o seu oftalmologista a respeito.Tenho certeza de que ele esclarecerá todas as suas dúvidas a respeito.
      E sempre que precisar mudar de lente de contato (ou por adequação financeira ou por não encontrar de imediato a que voce
      estava acostumado a usar) procure a avaliação de um oftalmologista para verificar a adapatação das lentes aos seus olhos.

      Isso dará a voce maior segurança em relação à saúde dos seus olhos (presente e futuro), alem de garantir um maior conforto
      no uso das mesmas!

      Espero ter ajudado!

      Abs,

      Curtir

    1. José,

      O tratamento cirurgico do descolamento de retina visa restaurar a anatomia do polo posterior do olho (refazendo o contato da retina com a
      coroide,camada subjacente e responsavel-entre outras coisas- por manter sua higidez).
      Com isso, se não existiu uma “janela de tempo” grande entre o descolamento e a correção cirurgica,o procedimento visa tambem a restauração da funcionalidade da retina, levando à melhora da visão.
      Porém a extensão da área descolada, a região acometida, o tempo que esta retina permaneceu descolada (entre o primeiro sintoma e a reposição da
      retina em seu leito),além de outros fatores (como por exemplo a causa do DR) fazem com que exista uma grande variação de resultado pós-operatorio.

      Além disso, apos essa intervenção,a cirurgia da catarata se faz necessária, embora o tempo decorrido entre a cirurgia do DR e a necessidade de facectomia (cirurgia de catarata) tambem varie muito de pessoa para pessoa. Cada caso é um caso!

      Então voce pode avaliar que o resultado cirurgico de facectomia realizada após e em decorrencia de cirurgia prévia para DR é um ponto de interrogação. A ação do oftalmologista visa a recuperação funcional porem essa recuperação depende de muitos fatores!

      Apenas pela descrição que voce fez do seu caso não é possivel responder a essa pergunta de outra forma.
      Sinto não poder ajudá-lo!

      Converse com seu oftalmologista,tire suas dúvidas e se ainda se sentir inseguro e ou tiver dúvidas, procure uma segunda opinião
      (um outro retinólogo)!

      Espero que voce melhore!

      Curtir

  6. Bom dia Dra.Elizabeth.

    Ha 11 dias atrás tive uma pancada forte no olho esquerdo, por ser final de semana, dois dias depois consultei com o oftalmologista. Perguntou se estava vendo flashes e pontos escuros, como não estava respondí que não. Mesmo assim, ele me pediu uma ultrassom e um mapeamento da retina. Ha uns cinco dias, percebo flashes no canto esquerdo do olho atingido e a pupila do mesmo, dilatada o tempo todo, apesar de não ver moscas volantes. Como aquí na minha cidade não faz esse exame, marquei para daquí dois dias em outra que dista 60 Km daquí. Pergunto, esses sintomas são de urgência, devo pedir a antecipação desse exame, pode ser algo muito grave?

    Att,

    Sérgio Nascimento.

    Curtir

    1. Bom dia, Sergio

      Os flashes indicam necessidade de mapeamento de retina, com certeza!
      Para identificação de possivel de tração vitreo-retiniana e/ou roturas. Como prevenção do descolamento de retina (DR).
      Voce disse que o trauma ocular ocorreu há 11 dias atras. Deve ter estimulado o processo de sinerese vitra, DPV possivelmente
      com tração, daí o sintoma de flashes. Se existe ou não rotura a ser tratada (laser) e a urgencia do tratamento depende tão
      somente do diagnostico que só o mapeamento permite.O que pode fazer diferença é garantir que o local onde vc vai fazer o mapeamento
      de retina conte tambem com laser para tratar a rotura caso ela seja diagnosticada. Do contrario voce teria que esperar
      mais um tempo para marcar o procedimento e se deslocar para a cidade ou clinica onde ele é feito.
      A dilatação da pupila é pelo trauma. O musculo do esfincter da pupila é sensivel e a perda de motilidade em alguns pontos do
      “anel” pupilar pode existir (então a pupila muda de “formato”) ou ser total (360º) e então a midriase (dilatação) da pupila
      é total e se mantem o desenho (circunferencia) comum (um circulo).

      Espero ter ajudado!

      Melhoras.

      Elizabeth

      Curtir

  7. Dra Elizabeth, estou com um problema sério.

    Aos 25 anos, fiz a cirurgia para correção de miopia com cortes (antes do laser). Fiquei 20 anos com visão perfeita. Aos 45 iniciou o processo de vista cansada e um pouco de miopia. Passei a usar óculos multifocais. Agora, aos 53 anos foi detectado catarata. Então optei por lentes intraoculares (com a retirada do cristalino) no processo monovisão. Como tenho um pouco de astigmatismo, não ficou perfeita a cirurgia. Acontece que pela manhã ou enquanto estou na luz natural, a minha visão para longe e para perto ficam boas, mas quando chega a noite e quando tenho que trabalhar em ambiente fechado no computador, minha visão fica horrível. Pedi então para o médico me passar lentes multifocais para uso a noite ou diante do computador. O resultado é que quando olho para um objeto quadrado ou retangular, o lado esquerdo aparece maior que o lado direito. Não fica linear.

    Qual seria a maneira de corrigir este problema? Se eu fizer correção a laser do astigmatismo, pode melhorar? A cirurgia que fiz com lentes intraoculares, tem como ser desfeita? Operei em julho 2012.

    A Dra tem clínica no RJ ?

    Curtir

    1. Helio,

      Apesar de não ter todos os dados que gostaria para opinar de forma mais assertiva,vou raciocinar com o que voce relatou.
      Voce fez cirurgia de catarata (!?) e optou pela tecnica da monovisão (lentes intraoculares para longe num dos olhos e perto no outro) para correção refracional.
      O uso da monovisão requer aprendizado neuronal (neuro-adaptação). O ideal é fazer testes com lentes de contato antes de um procedimento definitivo como o implante de LIO (lente intra-ocular).A dificuldade que voce relata provavelmente se deve à monovisão,sim. Com luz natural, a qualidade da visão é melhor.Assim como quando a catarata ainda não necessita cirurgia (significa apenas o envelhecimento do cristalino) e a visão é melhor com luz natural do que em ambientes fechados (a não ser com luz direcionada ao objeto que se vê, como na leitura,p.ex.).
      Quando usamos a monovisão e em determinadas tarefas temos mais dificuldade (dependendo da iluminação ou da maior exigencia visual) o que se faz é usar lentes de visão simples (não multifocais)para correção da ametropia de cada olho para aquela determinada distancia.
      Por exemplo:

      Quando dirigimos à noite, em uso de lentes de contato (ou LIO,no seu caso) adaptadas em monovisão, surgirá a necessidade de utilizar óculos com lentes para permitir a visão binocular (e com isso, mais qualidade visual). No olho que está usando correção para longe não colocamos grau na lente dos óculos (ou complementamos o grau que falta, p.ex. um pequeno astigmatismo não corrigido pelas lentes de contato (ou LIO, no seu caso).No olho em uso de correção para perto, a lente dos óculos deve compensar essa correção, readaptando o olho para a visão de longe. Com isso, a visão de longe ficará (do ponto de vista de “grau”), totalmente corrigida em ambos os olhos.O resultado é uma visão de qualidade bem superior,com algumas qualidades pertinentes à binocularidade (e que a monovisão não permite).

      O mesmo acontece para o trabalho no computador. A diferença entre os óculos multifocais e os óculos de visão simples para a correção da descompensação relativa à monovisão é que a tecnologia multifocal, por si só já cria dificuldade de fusão de imagens.Na construção das lentes multifocais são criados prismas ou efeitos prismáticos, alem de aberrações óticas, que podem atrapalhar mais ainda a fusão das imagens e reduzir o conforto da visão de perto ou ainda intermediária (computador).Os óculos multifocais ajudam bastante, mas têm indicações pontuais. Não implicam em qualidade em toda e qualquer circunstancia de uso da visão.

      A referencia a tamanhos diferentes de imagens (aniseiconia) se deve à diferença de graus entre os dois olhos.Antes o cérebro não precisava lidar com essa dificuldade.E ela ficar superdimensionada pelos multifocais. Talvez óculos apenas para usar no computador possam ser mais adequados à sua necessidade atual. Ou os óculos multifocais foram inadequadamente montados criando aberrações que podem ser melhro corrigidas. Nesse caso voce deve conversar com seu oftalmologista, que deverá encaminhá-lo à consultoria do fabricante das lentes multifocais que voce está usando, para que seja reavaliada a montagem, na tentativa de melhorar seu conforto.

      Quanto a uma nova cirurgia,as queixas referidas não me parecem se dever ao astigmatismo e portanto não seriam a primeira opção para resolver o problema.Mas, não conheço os detalhes. E quanto à sua pergunta a respeito das LIOs implantadas, sim é possivel explantar a LIO de perto e fazer implante secundário neste olho de uma lente visão simples para longe. A possibilidade existe, mas não deve ser sua primeira opção.Nõ acredito que um cirurgião de segmento anterior sugira o procedimento sem antes tentar resolver suas queixas clinicamente.

      Não existe intervenção cirúrgica sem risco.E voce já se submeteu a várias.Pense a respeito. Alem disso, após a facectomia a monitorização vitreo-retiniana é interessante pelas intercorrencias possiveis em relação ao polo posterior do olho, no longo prazo. A reoperação aumenta o risco de incidencia de complicação futura.

      Converse com o seu médico. E se o oftalmologista que sempre o acompanhou, não for o médico que o operou, volte a ele com as queixas atuais. Ele poderá ajudá-lo! A percepção do clinico é um pouco diferente em relação à do cirurgião.A experiencia é baseada na vivencia diária, que nesse caso não é a mesma. O clinico completa o cirurgião e vice-versa.

      Abs,

      Curtir

  8. Prezada Dra Elizabeth
    Pesquisando a respeito de fotopsia, encontrei seu blog e gostaria de perguntar sobre esse problema que no meu caso não está ainda vinculado ao descolamento de retina. Dois meses atras estava jogando tenis e fui alvo de uma bolada no olho esquerdo. Após isso comecei a perceber na parte lateral inferior do meu olho, pequenos flashs de luz que até o momento nao desapareceram. Ocorrem em situações diversas principalmente em movimentos bruscos da cabeça. Fiz vários exames com especialistas em retina e nao há nada identificado com maior gravidade. Será que existe possibilidade de coincidentemente essa fotopsia estar relacionada a algum tipo de stress?

    Curtir

    1. Cristian,

      Os flashes de luz,nesse caso devem se dever à tração vitreo-retiniana(TVR) localizada. Secundária ao trauma. A não gravidade, como voce relatou, se deve ao fato de não existirem roturas, degenerações retinianas de risco para DR ou hemorragias. O descolamento posterior de vitreo, quando parcial,é melhor avaliado na ultra-sonografia de globo ocular. A persistencia dos flashes (uma vez que não há razão para se pensar em outra causa -não oftalmológica- para eles) deve se dever a pequena tração (TVR).Sem outros sinais de risco não devem preocupar voce!

      Siga fazendo exames de rotina, conforme orientação do seu retinólogo!

      Abs,

      Curtir

  9. Por favor respondam qual a diferença?
    Entre o colirio vigadexa, o cloridrato de ciprofloxacino + dexametasona e o tobramicina +dexametasona porque aqui em casa todos noó pegamos conjutivite e receitaram um colirio diferente para cada um. Qual a diferença?

    Curtir

    1. Miriam,

      Todos os tres colirios são combinações de antibioticos com a dexametasona (corticoide).

      Tanto no vigadexa quanto na combinação com ciprofloxacina os antibioticos são quinolonas (de gerações diferentes sendo a mais antiga a ciprofloxacina).Já a tobramicina (da outra combinação) é um antibiotico de classe diferente. É um aminoglicosídeo da familia da gentamicina, p.ex.
      Cada um desses antibioticos tem uma especificidade maior para este ou aquele grupo de bacterias,embora todos sejam de amplo espectro.
      Como na conjuntivite não se faz de rotina exame para identificar a bacteria (quando a conjuntivite é diagnosticada como provavelmente bacteriana), cada médico opta por determinado antibiotico, dependendo da experiencia individual, da intensidade dos sinais e sintomas.
      A dexametasona seria para atenuar o componente inflamatorio da conjuntivite. Mas não é consenso a utilização de esteroides exceto em casos especificos e sob monitorização clinica.

      Espero ter ajudado.

      Abs,

      Elizabeth

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s